Apresentação

A pesquisa tem por tema estudar a cidade transformada desde finais do século XIX, e por fio condutor as presenças estrangeiras, fundamentais nos processos de transformação física, demográfica, econômica, social e cultural de São Paulo.

O intuito é pensar a categoria do estrangeiro em sua diversidade: imigrantes, viajantes, visitantes, residentes, nativos ou eternos estrangeiros na heterogeneidade dos modos de viver, descrever e simbolizar o outro. Os estrangeiros serão considerados em relação ao universo do trabalho. É justamente a heterogeneidade de inserções e experiências - assim como as marcas deixadas impressas na cidade e as imagens e reflexões que produziram sobre ela - que este projeto visa apreender e analisar.

Analisar a cidade significa refletir sobre seus territórios e lugares; seus valores e formas de uso; significados e também sobre as representações elaboradas por diversos grupos e atores sociais.

A pesquisa procura compreender as transformações ocorridas a partir de finais do século XIX, refletindo numa escala que permita estabelecer uma correspondência direta entre espaço social e organização material da cidade. Trata-se, portanto, de recuperar processos que consigam relacionar, em escalas adequadas, a questão do território com as sociabilidades nele instituídas a partir da presença e da atuação dos estrangeiros.

Os temas de investigação foram articulados em duas linhas de pesquisa: A transformação dos bairros centrais, a construção de territórios, redes e identidades e A transformação dos campos profissionais: práticas, redes, atores e circulação de saberes.

Neste site estão disponibilizados alguns dos resultados deste projeto coletivo de investigação.