Coleção Jacques Pilon

Em 1988 o seu acervo de projetos foi doado à Biblioteca da FAU USP pela pesquisadora Ilda Castello Branco, responsável pela primeira organização do acervo que é constituído por 316 projetos arquitetônicos (acondicionados em 384 tubos). Os desenhos que constituem o seu acervo se referem a projetos de residências, edifícios de escritórios, prédios de apartamentos, edifícios públicos, edifícios de uso misto, bancos, fábricas e túmulos. A documentação relativa a cada um deles é diversificada, compreendendo desde projetos completos com planta de prefeitura, projetos executivos (plantas, cortes fachadas - em escala: 100 e 1:50), perspectivas, croquis e projeto estrutural até outros que se referem a simples estudos ou anteprojetos representados por croquis. Os desenhos são em nanquim ou grafite sobre papel vegetal ou papel manteiga e uma menor parte em cópias heliográficas e se referem aos trabalhos produzidos pelo escritório individual do arquiteto francês, compreendendo o período de 1940 a 1956. Não fazem parte do acervo os projetos realizados durante a sociedade com Francisco Matarazzo Neto, ainda que haja projetos que foram iniciados na Pilmat, mas terminados no escritório Jacques Pilon engenheiro arquiteto.

Quem foi Jacques Pilon


Jacques Pilon cursou arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes de Paris, onde se formou em 1932. No ano seguinte veio para o Rio de Janeiro e trabalhou no escritório do arquiteto Robert R. Prentice. Em 1934, transferiu-se para São Paulo para fiscalizar as obras do Edifício-sede da empresa Sul América Capitalização, conhecido como SULACAP e situado na esquina das ruas XV de Novembro e Anchieta no centro da cidade. Radicado em São Paulo a partir deste ano, estabeleceu associações com diferentes profissionais ao longo de sua carreira, entre eles o engenheiro civil Francisco Matarazzo Neto (1910-1980), com quem constituiu a firma Pilon & Matarazzo Ltda, conhecida como Pilmat, no final de 1934. A sociedade se manteve até por volta de 1939-1940, quando foi desfeita. A partir daí, Pilon constituiu escritório próprio que passou a contar com diferentes colaboradores entre eles, Herbert Duchenes (1940-1948); Adolf Franz Heep (1945- 1951); Giancarlo Gasperini (1951-1958) e, nos últimos anos de sua vida, Jerônimo Bonilha Esteves (n. 1933). Com a Morte de Pilon em 1962 o escritório não teve continuidade.

Sobre Jacques Pilon


Branco, Ilda Helena Diniz Castello. “Jacques Pilon”. In: Warchavchik, Pilon, Rino Levi: três momentos da arquitetura paulista. São Paulo: Funarte: Museu Lasar Segall, 1983. _________. Arquitetura no centro da cidade: edifícios de uso coletivo. 1930 – 1950. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988. SILVA, Joana Mello de Carvalho e. O arquiteto e a produção da cidade: a experiência de Jacques Pilon em perspectiva (1930-1960). Tese (Doutorado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

Critérios de seleção dos documentos referenciados no banco de dados


Em virtude da quantidade de documentos, cada uma delas com mais de 2000 mil folhas de projeto, não foi possível digitalizar todo o acervo. Diante dessa limitação, foram referenciados no Banco de Dados:

  • Projetos cuja importância já está consagrada pela bibliografia
  • Projetos publicados em periódicos da época
  • Projetos cujas imagens constam no acervo de fotos do Museu Paulista
  • Projetos que representem as várias fases e parcerias dos arquitetos
  • Projetos cujos programas representem as várias áreas de atuação dos arquitetos
  • Projetos realizados em São Paulo
Os projetos selecionados, novamente em função da grande quantidade de desenhos, não foram completamente digitalizados, escolhendo-se os desenhos segundo os critérios abaixo:
  • Desenhos que dão uma idéia do processo de feitura do projeto (croquis, estudos e anteprojeto das várias versões do projeto)
  • Desenhos que possibilitam a leitura do projeto executivo final e a sua comparação com a obra construída (plantas, cortes, elevações, perspectivas e detalhes do projeto final).



Próximo

Voltar